BNDES e MCTIC defendem agenda de inovação

BNDES – principal fonte de financiamento da indústria, foi representado pela presidente da instituição, Maria Silvia Marques, que comentou a ampla reformulação de políticas e linhas de financiamento pelas quais passou o banco. Como parte dessa nova dinâmica, as condições de financiamento setoriais foram substituídas por foco no financiamento a projetos, no intuito de oferecer um incentivo horizontal a todos os setores. A atuação mais forte junto a empresas de micro e pequeno portes foi igualmente destacada. Está em vias de conclusão a revisão interna dos processos, a fim de reduzir o ciclo de aprovação de crédito de 400 a 600 dias, em média, para até para apresentar aos representantes da indústria e à comunidade as potenciais oportunidades advindas desses desafios”, destacou.
O gerente do IEL-SP observou que o Núcleo Estadual de Inovação tem mobilizado importantes atores para a promoção de ações inovadoras voltadas ao estímulo à competitividade do país. “Apesar do pouco tempo de constituição do NEI-SP, temos conseguido mobilizar a comunidade industrial, agências de fomento e centros de conhecimento, para o fortalecimento do ecossistema de inovação do Estado de São Paulo”, afirmou Vaz.
180 dias nas operações não automáticas. Por fim, foi anunciado que estão sendo discutidas mudanças no compartilhamento de garantias entre o BNDES e bancos privados, que devem trazer mais flexibilidade, atratividade e celeridade à tomada de crédito. Para o ministro Gilberto Kassab, do MCTIC, a consolidação da MEI representa um espaço de articulação para a inovação. O ministro interino da Fazenda, Eduardo Guardia, destacou inovação e produtividade como bases do crescimento. Ele foi enfático ao defender o controle do gasto público, simplificação do sistema tributário e desburocratização para a retomada da economia.
Fonte: CNI

Deixe uma resposta

WhatsApp Estamos no Whatsapp - 11 99999-5305