Ministro Marcos Pontes visita laboratórios do CNPEM na busca de soluções para combate da Covid-19

O ministro do MCTIC, Marcos Pontes, visita nesta segunda-feira (06/04) das 09h30 às 13h20 os laboratórios do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, SP.

O ministro conversará com pesquisadores e verá de perto a estrutura empregada atualmente em experimentos feitos em parceria com diversas organizações do país, que integram a Rede Vírus MCTIC, coordenada por sua pasta.

A rede conta com virologistas e grupos de especialidades complementares, com missões específicas.

A missão assumida pelo CNPEM é a de reposicionamento de fármacos, que consiste em analisar fórmulas de medicamentos que já têm uso aprovado no tratamento de outras doenças e selecionar aqueles que tem moléculas com melhor potencial de neutralizar a ação do COVID-19 e serem usados no tratamento de pacientes infectados.

Essa estratégia pode acelerar a descoberta de uma solução eficiente e segura para o combate a pandemia.

Experimentos

O trabalho de pesquisadores Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) identificou recentemente as primeiras cinco drogas potencialmente eficazes contra o novo coronavírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19.

O grupo realizou uma triagem, por meio de simulações computacionais, de 2 mil drogas já aprovadas para outros usos terapêuticos por agências reguladoras, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o FDA, agência do governo dos Estados Unidos que regula alimentos e drogas.

Esses primeiros medicamentos selecionados tiveram como alvo uma das proteases do vírus, enzima essencial em seu ciclo de vida. Posteriormente, o grupo vai testar outros fármacos em mais quatro alvos moleculares com diferentes funções no novo vírus.

A resposta rápida a problemas dessa complexidade e magnitude só tem sido possível porque o CNPEM, com o apoio do MCTIC, mantém em um mesmo ambiente, equipamentos de ponta e equipes de pesquisadores de várias áreas altamente capacitados para conduzir abordagens multidisciplinares e competitivas em nível internacional.

Programação da visita do Ministro Marcos Pontes ao CNPEM

A agenda de visitas contempla instalações onde são realizadas as triagens de medicamentos, assim como competências que estão sendo estruturadas no Centro, com suporte do MCTIC, para ações mundialmente competitivas contra vírus e outras perguntas biológicas em médio e longo prazo.

Dentre elas, estão o parque de criomicroscopia eletrônica e a linha de luz Manacá – estação de pesquisa do Projeto Sirius que será dedicada à resolução de problemas biológicos, como questões virais e descoberta de novos fármacos. Está previsto o atendimento à imprensa a partir das 12h.

Sobre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC)

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) é um órgão da administração federal direta, criado em 12 de maio de 2016 com a Medida Provisória nº 726, convertida na Lei nº 13.341, de 29 de setembro de 2016.

Com a missão de produzir conhecimento, produzir riquezas para o Brasil e contribuir para a qualidade de vida dos brasileiros, o ministério é responsável pelas políticas nacionais de telecomunicações, radiodifusão pesquisa científica e tecnológica e de incentivo à inovação, entre outras atribuições.

Para desenvolver suas atividades, o Ministério ainda conta com unidades de pesquisa, entidades vinculadas e organizações sociais com a missão de garantir e promover o avanço da ciência, tecnologia, inovação e comunicações visando o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida da sociedade brasileira.

Sobre o CNPEM

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM/MCTIC) é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC). Localizado em Campinas-SP, possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial.

  • O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS/MCTIC) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e está, nesse momento, envolvido no desenvolvimento do Sirius, o novo acelerador brasileiro, de quarta geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos;
  • O Laboratório Nacional de Biociências (LNBio/MCTIC) promove pesquisa e inovação nas áreas de saúde e biotecnologia, com foco na descoberta de novos fármacos e mecanismos de doenças;
  • O Laboratório Nacional de Biorrenováveis (LNBR/MCTIC) investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico;
  • O Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano/MCTIC) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.

Os quatro Laboratórios têm, ainda, projetos próprios de pesquisa e participam da agenda transversal de investigação coordenada pelo CNPEM/MCTIC, que articula instalações e competências científicas em torno de temas estratégicos.

Sobre o Sirius

Sirius, a nova fonte de luz síncrotron brasileira, será a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no País e uma das primeiras fontes de luz síncrotron de 4ª geração do mundo.

É planejada para colocar o Brasil na liderança mundial de produção de luz síncrotron e foi projetada para ter o maior brilho dentre todos os equipamentos na sua classe de energia. 

Fontes de luz síncrotron constituem o exemplo mais sofisticado de infraestrutura de pesquisa aberta e multidisciplinar e é uma ferramenta-chave para a resolução de questões importantes para as comunidades acadêmica e industrial brasileiras.

A versatilidade de uma fonte de luz síncrotron permite o desenvolvimento de pesquisas em áreas estratégicas, como energia, alimentação, meio ambiente, saúde, defesa e vários outros. 

Essa é a razão pela qual a tecnologia da luz síncrotron se torna cada vez mais popular ao redor do mundo. É também o motivo pelo qual os países com economias fortes e baseadas em tecnologia já contam com uma ou mais fontes de luz síncrotron, ou as estão construindo.

Fonte: MCTIC

WhatsApp Estamos no Whatsapp - 11 99999-5305