Rota 2030: Embrapii e Finep vão captar recursos para inovação automotiva

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), entidades vinculadas ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), participam do Rota 2030, programa do governo federal que incentiva a pesquisa e a inovação na indústria automotiva. Nos próximos 5 anos, a iniciativa estima movimentar até R$ 1 bilhão em investimentos privados.

Uma das estratégias do programa é que o valor de 2% que as montadoras pagariam sobre a importação de peças sem similares no Brasil seja investido em desenvolvimento tecnológico. Os recursos serão geridos por cinco instituições credenciadas pelo Comitê Gestor do Rota 2030, formado por representantes de governo, academia, sindicatos e empresas.

Em evento na Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), em 20 de setembro, o Ministério da Economia lançou os Programas Prioritários do Rota 2030 e assinou acordo com as cinco instituições gestoras dos investimentos. Além da Embrapii e da Finep, participam o BNDES, a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa, da Universidade Federal de Minas Gerais (Fundeb) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

O papel da Embrapii é gerir o programa prioritário voltado para mobilidade e logística, com o objetivo de apoiar e fortalecer as atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação do segmento automotivo. A entidade pode captar R$ 40 milhões por ano. Confira a atuação da Embrapii no programa aqui.

Já a Finep dará apoio a projetos estratégicos de desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores da cadeia automotiva com aplicação de recursos em Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs), startups e Fundos de Investimento. Ao todo serão captados R$ 200 milhões em 5 anos, além de R$ 70 milhões de recursos próprios da Finep. Saiba mais aqui.

Participaram da solenidade o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa; o diretor do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação (MCTIC), Jorge Campagnolo; o presidente do Comitê Gestor do Rota 2030, Gustavo Ene; o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes; e o presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), Dan Ioschpe.

Fonte: MCTIC

Deixe uma resposta

WhatsApp chat